Todos os posts de Bem da Terra

FEIRA ITINERANTE DO BEM DA TERRA – ESPECIAL DIA DAS MÃES

A tradicional feira de produtos de empreendimentos solidários da Associação Bem da Terra fará uma edição especial na quinta e sexta-feira (05 e 06/05) dessa semana.

Feira-Bem-da-Terra-Católica

São ofertados produtos como artesanato, hortifrutigranjeiros, produtos de limpeza e cosméticos naturais, pães, laticínios, sucos, alimentos processados, plantas ornamentais, roupas e acessórios.

E em homenagem ao Dia das Mães o Bem da Terra está sorteando uma cesta com produtos da feira. Para participar basta adquirir qualquer produto durante essa edição especial, preencher o cupom e depositar na Loja Bem da Terra na Banca 71 no Mercado Central de Pelotas.

A Feira Itinerante funciona das 9h às 18h, em frente ao Campus I da Universidade Católica de Pelotas.

Agende-se para as próximas feiras:

Maio
27 (sexta-feira)

Junho
14 (terça-feira) e 24 (sexta-feira)

Julho
12 (terça-feira) e 28 (quinta-feira)

Agosto
9 (terça-feira) e 25 (quinta-feira)

Setembro
13 (terça-feira) e 29 (quinta-feira)

Outubro
11 (terça-feira) e 27 (quinta-feira)

Novembro
8 (terça-feira), 24 (quinta-feira), 28 (segunda-feira), 29 (terça-feira), 30 (quarta-feira)

Dezembro
6 (terça-feira), 7 (quarta-feira) e 8 (quinta-feira); 13 (terça-feira), 14 (quarta-feira) e 15 (quinta-feira)

 

 

Feira Virtual cria grupo com proposta inclusiva

 

12736385_10207897185284243_42668112_n

            Com o objetivo de inserir novos grupos de consumidores, respeitando suas especificidades, a Feira Virtual Bem da Terra está trabalhando em alternativas inclusivas em suas ferramentas de comercialização. Dessa forma, ontem ocorreu a primeira compra de núcleo de consumo consciente orientada. A novidade aconteceu no Sindicato dos Metalúrgicos de Pelotas, onde os trabalhadores fizeram pedidos com o auxílio dos membros da coordenação da feira. A proposta surgiu a partir da percepção de dificuldade que algumas pessoas enfrentam no uso das novas plataformas digitais.

            O núcleo do Sindicato dos Metalúrgicos é décimo sexto núcleo de consumo responsável da Feira Virtual. A entidade apoia a iniciativa de economia solidaria desde o começo das atividades, em dezembro de 2014. Assim como a Feira Virtual, a Associação Bem da Terra mantém um espaço no Mercado Público de Pelotas e realiza feiras itinerantes na frente da Universidade Católica de Pelotas e nas dependências do IFRS. Todas as propostas de comercialização têm como finalidade expandir a economia solidária e criar organicidade entre as diferentes experiências de trabalho associado.

            Caso você esteja interessado em fazer parte dessa iniciativa, seja como consumidor ou como produtor, compareça aos sábados no Centro de Distribuição da Feira Virtual Bem da Terra (XV de Novembro esquina Almirante Tamandaré) ou contate-nos pelos endereços disponíveis no site.

Feira Virtual terá calendário especial no período das festas de final de ano

A Feira Virtual Bem da Terra terá alterações nos horários e dias dos dois últimos ciclos de 2015. A abertura, o fechamento e a entrega de pedidos serão diferentes em comparação aos ciclos anteriores. Além do período de oferta que acontecerá de 20 (domingo) à 22 (terça), na semana de natal e, de 27 (domingo) à 29 (terça), na semana de véspera do ano novo, os horários e a rotina de separação dos pedidos também serão diferenciados. Todo o processo de separação, nesses dois ciclos, estão sob os cuidados das equipes de assessoria universitárias e os consumidores não precisarão ir fazer a separação.  Abaixo os horários de abertura, fechamento e retirada dos pedidos para os próximos ciclos:

Semana de Natal:

Abertura do ciclo: dia 20 (domingo) 18h.

Fechamento do ciclo: dia 22 (terça-feira) 14h.

Entrega no Centro de Distribuição: dia 23 (quarta-feira) das 17h às 20h. 

Semana de Ano Novo:

Abertura do ciclo: dia 27 (domingo) 18h.

Fechamento do ciclo: dia 29 (terça-feira) 14h.

Entrega no Centro de Distribuição: dia 30 (quarta-feira) das 17h às 20h.

Com mais produtos, MST lança cesta de natal pelo segundo ano consecutivo

Da Página do MST
Pelo segundo ano seguido, o MST lança a cesta de natal com produtos da Reforma Agrária. São mais de 22 itens produzidos nas áreas de assentamentos da Reforma Agrária de todas as regiões do Brasil.
Café, suco de uva e dois tipos de arroz orgânico, palmito, dois tipos de cachaça, polpa de tomate, castanha de caju e panetone são alguns dos produtos que compõem a cesta.
Para Adalberto Oliveira, do setor de produção do MST, a cesta é mais uma forma divulgar à sociedade a produção de alimentos de qualidade produzidos nos assentamentos.
“Mais do que tudo, a cesta serve para que as pessoas conheçam e tenham acesso a estes produtos. O MST é muito conhecido pelo seu potencial de luta e mobilização. Isso é muito bom, mas depois de 30 anos também queremos que as pessoas conheçam nossas conquistas, e uma delas é a nossa produção”.
Oliveira ainda destaca a Loja da Reforma Agrária que está para ser inaugurada no primeiro semestre de 2016 na região central da cidade de São Paulo, que contribuirá ainda mais para aproximar de forma permanente o público da cidade com a produção dos assentamentos e acampamentos. A cesta custa R$ 200,00, e será entregue apenas na região da grande São Paulo.
Os Sem Terra do Distrito Federal, no entanto, também estão organizando uma cesta para o final de ano para a região. Ao custo de R$ 170,00 a cesta conta com 19 produtos das agroindústrias e cooperativas dos assentamentos do DF e Entorno e de outras regiões do Brasil.
Para adquirir a cesta na grande São Paulo, basta entrar em contato com o email lojanac@mst.org.br, ou ligar para os números: (11) 2131-0880/(11) 3333-0652.
Já os contatos da cesta do Distrito Federal são (61) 9861-3608 ou (61) 9833-9958.
Abaixo, veja a lista dos produtos abaixo:
Panetone, Feijão, Arroz Polido, Arroz Integral, chá – mate, Leite UHT, Terrinha, creme de leite, leite condensado, suco de uva, farinha, cachaça veredas, rapadura, doce de pêssego, café, doce de leite, polpa de tomate, castanha de baru, palmito, açúcar mascavo, melado e cachaça camponesa

Feira Virtual Bem da Terra completa um ano

IMG_7088

        A iniciativa por uma proposta de comércio socialmente justa, ambientalmente sustentável e economicamente solidária completa um ano de atividades. Há um ano, no dia 02 de dezembro de 2014, o primeiro ciclo de pedidos estava aberto e muito trabalho viria pela frente em busca da consolidação no pacto entre cidadãos que produzem e vendem com os compram e consomem. Nos relatos dos participantes foi possível perceber que o consumo é um ato político. Pois além do esforço por um consumo de alimentos saudáveis, a ferramenta de comercialização da Associação Bem da Terra apresenta suas preocupações com os trabalhadores e tem como objetivo um tipo de economia em que as pessoas sejam mais importantes do que o dinheiro.

       O cultivo das hortaliças, a pesca, o artesanato e as outras formas cooperadas de produzir através do trabalho de mulheres e homens solidários, na Feira Virtual, visam o respeito pela natureza. Ainda que esteja distante daquilo que seus idealizadores e membros almejam, resultados positivos foram conquistados no primeiro ano de atividades. Entre eles, estão os primeiros passos rumo à autogestão, a evolução no cultivo agroecológico e o crescimento, apesar de insuficiente para o equilíbrio financeiro, do número de consumidores responsáveis.

         A Feira Virtual comemora seu primeiro ano em meio a uma conjuntura política de intensas lutas e algumas dessas bandeiras estão conosco, como: a agroecologia, a economia solidária e o comércio justo, por exemplo.  Para dar seguimento em nossa proposta, traga suas ideias, boas intenções e, além disso, seus amigos e parentes para essa experiência de comercialização. Participe e aproprie-se. Parabéns a todos que vivem a Feira Virtual Bem da Terra!

IMG_1839

Membros do NESIC e do TECSOL participam de seminário internacional

IMG_7794

Com o tema Perspectivas e Prospectivas da Economia Social e Solidária: repensando desenvolvimento o seminário internacional Procoas reuniu centenas de extensionistas, pesquisadores e trabalhadores em Montevidéu, capital do Uruguai. Entre os participantes estavam membros do Núcleo de Economia Solidária e Incubação de Cooperativas (NESIC-UCPEL) e do Núcleo Interdisciplinar de Tecnologias Sociais e Economia Solidária (TECSOL-UFPEL). O evento ocorreu nos dias 07, 08 e 09 de outubro e contou com a presença de pessoas de diversos países da América Latina.

O evento organizado pelo Comitê Acadêmico de Processos Cooperativos e Associativos (PROCOAS) e pela Unidade de Estudos Cooperativos da Universidad de la República foi marcado pela troca de experiências e muitos debates. Temas como: finanças solidárias, problemas do desenvolvimento, autogestão, consumo consciente e tecnologias sociais foram discutidos nas oficinas, palestras e painéis temáticos.

Além das palestras, debates e oficinas, os participantes puderam conhecer o Parque Tecnológico e Industrial de Cerro que abriga cerca de 70 empreendimentos, 11 deles de economia solidária. O parque está localizado na Vila do Cerro que historicamente recebeu imigrantes e investimentos externos. A partir dos anos 50 enfrentou sucessivas crises com o abandono de empresas que gerou a cooperação entre os trabalhadores para a tomada de suas atividades, dessa vez sob sua gestão. Um dos empreendimentos econômicos solidários do complexo que foram visitados é a YDE Envasadoras que há 17 anos produz máquinas de embalagens. A YDE Envasadoras é composta por 15 trabalhadores cooperados.

IMG_7895

Feira Estadual das Sementes Crioulas e Tecnologias Populares acontece de 02 a 04 de outubro

            A Feira Estadual de Sementes Crioulas e Tecnologias Populares, é um evento de abrangência nacional com a participação e o intercâmbio de países da América Latina e MERCOSUL, como a Argentina, Chile, Venezuela, Uruguai e Paraguai.

            A Feira de Sementes, busca através de uma programação diversificada (seminários, oficinas, palestras, show’s, etc.) enfocada na realidade dos agricultores, promover a informação e a formação destes agricultores quanto à importância da conservação da biodiversidade, sobretudo, a preservação das sementes crioulas e a sustentabilidade na agricultura familiar.

            Nas 6 edições da feira realizadas até agora (2002,2004,2006,2009 e 20011, 2013), 100 mil pessoas passaram pelo evento onde tiveram a possibilidade de ampliar o seu conhecimento e a sua interação entre os agricultores de diversas regiões, bem como do público visitante, das organizações, instituições de pesquisa e a extensão rural que apoiaram e que demonstraram os seus trabalhos neste evento. Na última edição da feira – outubro de 2013 – aproximadamente 3,6 mil kg de sementes crioulas foram comercializadas diretamente na feira pelo sistema de troca-troca entre os agricultores e 30 mil kg de sementes crioulas através  da Cooperativa União para a Secretaria de Desenvolvimento Rural do Município de Canguçu beneficiando mais de 13 mil famílias.

            A forma de realização da Feira promove um encontro dinâmico com exposição de sementes crioulas, inventos dos agricultores, farmácia caseira, artesanato, agroindústria familiar, produtos da pesca artesanal, oficinas temáticas centradas na sustentabilidade e agroecologia, seminário sobre sementes crioulas, feira de trocas, feira de livros, teatro, música, dança e celebrações ecumênicas, valorizando as manifestações culturais da região preservadas ao longo do tempo, bem como o resgate de inúmeras delas que caíram no esquecimento.

            A Feira Estadual das Sementes Crioulas e Tecnologias Populares, desde a sua primeira edição é resultado de um trabalho conjunto da UNAIC com diversas instituições e organizações locais e regionais que defendem a sustentabilidade e que buscam alternativas de sobrevivência no meio rural em harmonia com o meio ambiente.

Programação

02/10/2015 – Dia 1 –  Seminário
08:30 horas
Recepção Seminário da Sucessão Familiar e Acampamento da Juventude Rural.
09:00 horas
Abertura do Seminário da Sucessão Familiar / Reunião do Fórum da Agricultura Familiar.
09:00 horas
Abertura do  1 º Acampamento da Juventude Rural.
11:30 horas
Almoço.
13:30 horas
Seminário: Debates sobre o Tema.
17:30 horas
Encerramento.
03/10/2015 – Dia 2 – Programação
09:00 horas
Abertura dos Pavilhões da 7ª Feira Estadual das Sementes Crioulas e Tecnologias Populares.
09:00 horas
Abertura das Oficinas – Pavilhão das entidades.
09:00 horas
Reunião da ADAC – Associação de Desenvolvimento do Alto Camaquã/ Degustação de Cordeiro.
09:30 horas
Abertura dos Pavilhões da 1º Feira dos Guardiões Mirins.
10:00 horas
Abertura dos Pavilhões da 1º Feira Municipal do Livro de Canguçu.
11:00 horas
Visita das autoridades e convidados da feira.
12:00 horas
Almoço
13:30 horas
Apresentações Artísticas.
16:00 horas
Formação do Grupo de Guardiões Mirins de Canguçu com distribuição de Sementes Crioulas.
16:00 horas
Distribuição de Sementes e Mudas de Batata Doce.
17:30 horas
Show Popular.
19:00 horas
Encerramento das Visitações aos estandes.
20:00 horas
Show Popular.
04/10/2015 – Dia 3 – Programação
09:00 horas
Abertura dos Pavilhões da 7ª Feira Estadual das Sementes Crioulas e Tecnologias Populares.
10:00 horas
Mística / Culto Ecumênico e distribuição de Sementes Crioulas.
11:00 horas
Abertura Oficial da 7ª Feira Estadual das Sementes Crioulas e Tecnologias Populares.
12:00 horas
Almoço.
13:30 horas
Apresentações Artísticas.
15:00 horas
Apresentações Artísticas.
16:00 horas
Distribuição de Sementes e Mudas de Batata Doce.
16:30 horas
Show Popular.
18:00 horas
Encerramento.

Fonte: http://feiradassementes.com.br/

Matéria disponível em: http://feiradassementes.com.br/feira

4º Encontro de Biodiversidade terá oficina com Grupo de Consumo Bem da Terra

oficina_biodiversidade
Na próxima quarta-feira acontecerá, em Lombra Grande/ Novo Hamburgo, o 4º Encontro Regional de Biodiversidade onde haverá troca de sementes crio​u​las e um panorama da agroecologia nos Vales do Sinos e Paranhana.
Será uma oportunidade de conhecer opções de alimentação saudável e de​ cuidado com o planeta na produção de alimentos que estão pertinho da gente.
Às 13h30 acontecerão oficinas e uma delas será sobre consumo consciente.
O pessoal do Bem da Terra, de Pelotas, vem contar sua experiência na organização de um grupo de abastecimento lá na região: consumidoras/es e produtoras/es que se organizaram para a venda direta de produtos e serviços necessários!
Venha participar desta conversa com o Bem da Terra e a gente aqui na região também buscar se organizar, identificar o que consumimos e comprar direto de produtoras/es daqui.
Texto e imagem de Rosana Kirsch em: http://cirandas.net/fbes/economia-solidaria-no-brasil/4o-encontro-de-biodiversidade-tera-oficina-com-grupo-de-consumo-bem-da-terra
Mais informações em:  http://www.novohamburgo.rs.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=67483

O consumo como ato político

agenda-gcrs (800x600)

“O consumo como ato político”. Esse foi o lema construído nos três dias do III Encontro da Rede Nacional de Grupos de Consumo Responsável, que ocorreu em São Pedro-SP de 7 a 9 de agosto.  O evento contou com a presença de 22 grupos de consumo responsável dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Ceará, Bahia, Amazonas e Mato Grosso. A Feira Virtual Bem da Terra também esteve representado no encontro que teve entre suas finalidades a troca de relatos das mais diversas experiências em consumo consciente, comércio justo e economia solidária no Brasil.

O evento organizado pelo Instituto Kairós teve diversas atividades e pontos de discussão, dentre as quais:

  • Apresentação do resgate sobre o histórico da Rede Nacional de GCR;
  • Trocas de experiências e debates sobre os desafios e conquistas dos GCRs ao longo do tempo;
  • Apresentações de trabalhos realizados pelo Kairós em parceria com alguns GCRs que atuam como “Bases de Serviço em economia solidaria”, dentro do projeto com a Senaes/MTE, como estudos de viabilidade econômica, plano de logística e pesquisa comparativa de preços de hortalicas em cidades de diversas regiões do pais, esta última a ser lançada em breve;
  • Bate-papo com produtores do Rede Guandu (GCR de Piracicaba) sobre como é participar de um GCR;
  • Avaliação e continuidade do software para os GCR, disponível no Cirandas.net a partir da criação de uma comunidade, utilizado pelos GCRs: Bem da Terra/RS, Uilikandé/SP, Rede Agroecologica Caiçara/SP; ComerAtivaMente/SP e RedeMoinho/BA;
  • Apresentação do Portal do Consumo Responsável, em desenvolvimento pela Cooperativa EITA, que pretende ser um espaço para busca de práticas, portal de notícias e acervo de materiais sobre o tema, além de estar linkado à um aplicativo de celular – o Responsa – para integração das práticas e busca de produtos e serviços em todo o país, que segue em pré-teste;
  • Participação dos GCRs no Sistema Nacional do Comércio Justo e Solidário (SCJS) e cadastro no CADSol (Cadastro Nacional de Empreendimentos Econômicos Solidários);
  • Debate sobre a identidade nos termos consumo responsável e Grupo de Consumo Responsável, buscando um vínculo mais permanente e a possibilidade de mais ações em conjunto;
  • E ao final do encontro houve uma plenária de encaminhamentos, em temas como: agendas, logística conjunta; coordenação, continuidade e modo de integração à Rede.

Conheça o instituto e obtenha mais informações em institutokairos.net/

Audiência Pública discutirá a atual conjuntura e futuras políticas em Economia Solidária

A Assembleia Legislativa promove na próxima segunda-feira, 17, às 17 horas, uma Audiência Pública para debater a atual conjuntura  e o futuro das políticas públicas em Economia Solidária no estado do Rio Grande do Sul. O encontro entre trabalhadores solidários, entidades de fomento, assessorias universitárias e representantes do legislativo estadual acontecerá na Câmara de Vereadores de Pelotas (Rua XV de Novembro, 207). A necessidade do debate resulta da extinção da Secretaria Estadual de Economia Solidária e Apoio a Pequena Empresa (SESAMPE), dos possíveis cortes orçamentários relativas as ações da pasta e das indefinições que marcam o momento da gestão executiva do RS.

O evento faz parte da rodada de discussões surgidas a partir do estabelecimento da Subcomissão de Economia Solidária na Comissão de Economia, Desenvolvimento Sustentável e Turismo da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul. Acontecerão, além do encontro em Pelotas, outras audiências públicas regionais e estaduais. Diversas entidades se somam a esse movimento como o Fórum Gaúcho de Economia Popular e Solidária (FGEPS), o Conselho Estadual de Economia Solidária, o Núcleo Interdisciplinas de Tecnologias Sociais e Economia Solidária da Universidade Federal de Pelotas (TECSOL/UFPEL), O Núcleo de Economia Solidária e Incubação de Cooperativas da Universidade Católica de Pelotas (NESIC/UCPEL) e movimentos sociais.

 A agenda prevista de atividades segue abaixo:

17.08 – Pelotas (17h, Câmara de vereadores)
24.08 – Santana do Livramento (17h, Câmara de Vereadores)
31.08 – Caxias do Sul (17h, Câmara de vereadores)
28.09 – Torres (local e hora a definir)
05.10 – Canoas (local e hora a definir)
26.10 – Porto Alegre (Plenarinho da Assembleia Legislativa, as 15 horas)